Delírio - Lauren Oliver.

domingo, outubro 06, 2013

Todos nós de certa forma sofremos com o amor, amor não correspondido de amigos, familiares e até namorado. Sempre pensamos que deveria existir uma cura, mas e se essa cura existisse você realmente iria usar?

 E Delírio é um livro distópico onde o amor é tratado como uma doença, chamado de  amor deliria nervosa, quando você começa a ler você realmente acredita que ele seja uma doença e que o governo está certo em lhe dar a cura aos 18 anos, o livro já começa falando que a doença mais perigosa é aquela que nos fazem pensar que estamos bem, todo começo de capítulo tem um trecho do Shhh (Suma de hábitos, higiene e harmonia) e Lauren Oliver escreve de uma maneira apaixonante.

    "Afeta nossa mente, impedindo-nos de pensar com clareza ou tomar decisões racionais sobre o nosso próprio bem estar.( este é o sintoma número de número 12, listados na seção "Amor deliria nervosa" da décima segunda edição da Suma de hábitos, higiene e harmonia, ou shh, como a chamamo). Naquela época, as pessoas identificaram outras doenças, como estresse, problemas cardíacos, ansiedade, depressão, hipertensão, insônia, transtorno bipolar, sem perceber que eram, na verdade, apenas sintomas que, na maioria os casos, resultava do amor deliria nervosa."


 O Governo proíbe que meninos e meninas conversem, que eles tenham certo contato, se isso acontecer eles podem ate fazer a cirurgia antes dos 18 anos, mesmo tendo efeitos colaterais, tudo para que eles fiquem livres da doença e Lena espera ansiosamente o dia da sua cirurgia, o dia que ela não vai mas se preocupar se tem em seu sangue uma doença e acima de tudo ela não quer acabar que nem sua mãe, tão doente por amor que mesmo depois de varias tentativas falhas de cura, continuou doente e se suicidou. Mas sua amiga Hanna tem uma ideia diferente, ela não concorda com a cura e ela vive discutindo com Lena sobre isso.


De certa forma você pensa, ela vai ter essas ideias ate encontrar alguém se apaixonar e fim viver feliz para sempre resistindo as regras do governo... E Puff, acontece quase isso, ela encontra um garoto e se apaixona por ele e todas aquelas ideias que o governo colocou na cabeça dela vão desaparecendo, algo que ela tinha tanta certeza se transforma numa dúvida cruel, ela percebe que o mundo sem amor é falso, triste e sem sentido.


Leia também:

2 comentários

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. De fato... O amor pode ser encarado como doença. A propósito, bom texto õ/

    ResponderExcluir

Lendo:

Facebook

Seguidores